Nomenclaturas e Títulos no Karate-Do

Muitos títulos honoríficos e nomenclaturas diversas tem sido usadas no Brasil para designar professores de Karate. Muitas vezes acompanhadas de faixas corais e suas variações mirabolantes sem nenhum tipo de reconhecimento de organizações internacionais de Karate. Descubra o que é real e o que é fake nesse artigo!

Conteúdo

Muitos títulos honoríficos e nomenclaturas diversas tem sido usadas no Brasil para designar professores de Karate. Muitas vezes acompanhadas de faixas corais e suas variações mirabolantes sem nenhum tipo de reconhecimento de organizações internacionais de Karate. Na massiva maioria dos casos os títulos são auto-proclamados, inclusive baseados em graduações auto-outorgadas. Essa preocupante situação nos incita a registrar aqui o significado das principais nomenclaturas usadas no Karate-Dō e alguns exemplos de exigências de organizações sérias para outorga de títulos como Shihan (mestre modelo).

Se você ficar com dificuldade de entender alguma palavra em japonês do nosso texto confira o glossário completo em: https://shinjigenkan.com.br/glossario-de-termos-do-karate-do/

NOMENCLATURAS COMUNS

Gichin Ikaho 1934 Shinjigenkan Brasil
Funakoshi Gichin com Shinken Taira e outros alunos na década de 1930

Seito [生徒] ou Deshi

É o estudante, pupilo. Quem recebe instruções do professor e dedica seu esforço e respeito ao treinamento.


Sensei [先生]

Palavra comum do idioma japonês que significa “aquele que nasceu antes”, usada para professores, médicos, legisladores, políticos, clérigos e outras figuras de autoridade. No Karate é o responsável pela transmissão dos conhecimentos dentro do Dōjō e soberano do local. Não existe autoridade superior ao sensei dentro do Dōjō. Na antiguidade, mesmo o Imperador devia respeitar esta premissa.

Shihan [師範]

mestre/modelo, um notável professor de alta graduação e responsável por grandes contribuições ao Karate em sua carreira. Geralmente possuem muitos alunos com o status de Sensei. No Japão, a condecoração de Certificado de Licença de Especialista é designada através de qualificação de virtudes comprovadas e endossado pela Associação de Instrutores Chefes (Shidoin/Shihan-kai) ou pelo Quadro Administrativo de uma Associação. Shou-gou [称号] é o sistema de titulação de mestres estabelecido pela Dai-Nippon Butoku-kai (Associação das Virtudes Militares do Grande Japão, fundada em 1895 em Kyoto). Apenas um longo processo de examinação e apresentação de documentos comprovados e válidos valida o título.

A Relação entre os membros do Dojo

Todos os membros de um Dōjō devem ajudar-se a crescer mutuamente, e conviver como uma família. Essas pessoas são designadas pelos seguintes termos/títulos:

  1. Kōhai : é o aluno mais novo, recém iniciado no Karate. Deve respeitar profundamente os mais antigos e observá-los no treinamento;
  2. Dōhai: é o aluno comum, que começou ao mesmo tempo que outro. É uma pessoa que está há algum tempo treinando Karate e portanto possui colegas mais novos (kōhai) e mais antigos (senpai). Observando as instruções do sensei, permanece sempre atento às atitudes dos seus senpai e auxilia os kōhai no tempo livre;
  3. Senpai: é o aluno mais antigo. Deve sempre que possível auxiliar os mais novos (kōhai) durante os treinamentos (mas nunca de forma impertinente), mantendo espírito de respeito e disciplina exemplares, pois são observados pelos novatos;
  4. Yūdansha: São os faixas-pretas com graduação até 5º Dan. Na ausência do sensei devem guiar os treinamentos, e sendo senpai devem auxiliar os mais novos sempre que possível;
  5. Kodansha: Os professores com graduação de 6º Dan para cima. São responsáveis pela transmissão dos conhecimentos dentro dos Dōjō e soberano do local. Eventualmente um Dojo é coordenado por um Yūdansha, mas este sempre é supervisionado por Kodansha. Não existe autoridade superior ao sensei  Kodansha dentro do Dōjō, e na antiguidade, mesmo o Imperador devia respeitar esta premissa.

TITULAÇÃO DAS GRADUAÇÕES DE MESTRE (Shou-Gou Dai Nippon Butoku Kai)

funa otsuka 1 Shinjigenkan Brasil
Funakoshi Gichin diplomando Ohtsuka Hironori, que posteriormente fundaria a escola Wado

Renshi [錬士]

Renshi é uma palavra em japonês que significa “Pessoa polida”. Para ser Renshi se requer o 6º Dan ou superior, 40 anos de idade no mínimo e apresentar uma pesquisa (kenkyu) relativa a alguma técnica, tática ou filosofia de sua disciplina, já que este título é equivalente a uma Licenciatura universitária (graduação acadêmica).


Kyoshi [教士]

Kyoshi é um título que significa “Pessoa que ensina” ou seja, de quem se pode aprender, algo como “Filósofo”, já que é capaz de ensinar a filosofia de sua arte. Para ser Kyoshi se requer o 7º Dan ou superior, 48 anos de idade no mínimo, ter sido Renshi por pelo menos 6 anos e apresentar uma dissertação relativa a alguma técnica, tática ou filosofia de sua disciplina, que passada a avaliação inicial deverá ser defendida ante um Comitê (banca) já que este título é equivalente a um Mestrado universitário.

Hanshi [範士]

É o último título que significa “Pessoa exemplar” que se refere a “Mestre” no mais amplo sentido do termo, já que é a graduação mais alta. Para ser Hanshi se requer o 8º Dan o superior, 58 anos de idade no mínimo, ter sido Kyoshi por pelo menos 8 anos e apresentar uma tese relativa a alguma técnica, tática, filosofia ou pedagogia de sua disciplina que deverá ser defendida ante um Comitê (banca) já que este título é equivalente a um Doutorado universitário.

Essas mesmas nomenclaturas são utilizadas pelas escolas de Karate de Okinawa e atribuídas pela organização administrativa da Ilha.

GRADUAÇÃO DE MESTRE NO ESTILO SHOTOKAN

O caso da International Japan Karate Bujutsu Association – IJKA (fundada por Tetsuhiko Asai)

Asia100 Shinjigenkan Brasil
Tetsuhiko Asai (1935-2006)


Segue regra escrita à mão por Asai sensei acerca do processo de titulação “Shihan”:


O título de “Karatedo Shihan” é outorgado e pode ser usado apenas quando um indivíduo possui graduação mínima de 7º Dan e recebe a permissão do Shusei Shihan*, e:

  1. pode atender ao seminário de certificação do título de Shihan;
  2. adquire a certificação e comprovação de conclusão do curso especificado no seminário; e
  3. obtém a certificação autenticada (“inkajo”) do título de Shihan.


O mestre Asai conclui:

“O principal objetivo de um Shihan em Karate é evoluir o espírito das pessoas, especialmente treinar os jovens para que possam se tornar membros decentes da sociedade. Isso é uma importante tarefa, e é por isso que o processo de certificação para tornar-se Shihan é tão restrito. As pessoas não podem apenas fugir de um exame duro e criar um grupo apenas para vender certificados de exames.”

*(Instrutor Chefe – no caso da JKS, por exemplo, anteriormente Tetsuhiko Asai e atualmente Masao Kagawa).

Referências

DNBK, Dai Nippon Butokukai. Disponível em: <http://www.dnbk.org/history.cfm>. Acesso: 26 fev 2018.

IJKA, International Japan Karate Bujutsu Asociation. Coution. Disponível em: <http://ijka.jp/en/coution/index.html>. Acesso: 28 fev 2018.

JISHO, Online Japanese Dictionary. Disponível em: <http://jisho.org>. Acesso: 28 fev 2018.

Vem com a gente!

Aulas gratuitas de Chi Kung direto no seu email